quinta-feira, 12 de abril de 2018

Maria Pinna recebe 290 crianças carentes no Beach Park


A atriz Maria Pinna, a vilã Regina de ‘Cúmplice de Um Resgate’, do SBT, foi a madrinha de 290 crianças carentes, atendidas por ONGs cearenses, nesta quarta-feira, 11, no Beach Park, no Ceará – principal destino turístico de referência mundial e reconhecido por ter o melhor parque aquático da América Latina e segundo melhor do mundo – no 11º Dia Nacional da Alegria.

Desta vez, as instituições escolhidas foram a Bombas do Bem, Projeto Vida Nova e Educação e Esporte, Essa É a Nossa Praia.



Fotos: Felipe Panfili/Divulgação

terça-feira, 20 de março de 2018

Foto: Festa Farofada

São Paulo foi só agito nesse domingo com a festa Farofada, da Fishfire e da agência Play, com drinks by Ciroc, que teve Claudia Leitte como atração principal, na quadra da Águia de Ouro.


Fonte: Glamurama

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Maria Pinna: a Malvada Regina de Cúmplices de Um Resgate é do bem

Maria Lacativa Pinna, a atriz Maria Pinna tem 29 anos nasceu em Ilhabela, litoral de São Paulo já morou no Rio e em Londres e atualmente mora em São Paulo. Filha de artista plástico escultor,Gilmar Pinna e de Rosangela , professora de Educação Física. Nesta entrevista a Regina Junqueira, de Cumplices de Um Resgate fala da carreira, da familia, do seu processo de criação dos personagens  e da vida.

sábado, 19 de agosto de 2017

Teatro Nelson Rodrigues recebe peça teatral Help


Neste sábado e domingo (dias 19 e 20), o Teatro Nelson Rodrigues, localizado na Vila Galvão, recebe a peça de teatro Help. A história gira em torno de dois personagens, a jornalista Regina e o jovem Thiago, interpretados pela atriz Maria Pinna, e pelo ator Eduardo Ximenes.

O tema central da peça oferece uma reflexão sobre o atual momento que muitas pessoas vivem, onde mesmo diante dos avanços tecnológicos, a solidão permanece, e uma das palavras mais utilizadas para definir esse momento é a “depressão”. Ainda que hoje a tecnologia esteja espalhada em diversos meios, muitos continuam isolados do contato social mesmo que estejam constantemente trocando mensagens via internet. Confessam para alguém que “estão mal” porque estão sozinhas. Help aborda sobre o motivo que essas pessoas de fato são culpadas por serem diferentes e se sentirem tão isoladas a ponto de assumir que a solidão pode ser tratada com antidepressivos.

Segundo a atriz Maria Pinna, que trabalhou na novela Cúmplices de Um Resgate no SBT, os dois personagens são muito sós, e cada um acaba lidando com essa solidão de uma forma diferente, com o personagem Thiago sempre deprimido, e a jornalista Regina, sempre brincando com a própria dor.

“O foco da peça é mostrar que apesar de tantas mídias, juntamente com essa globalização, o contato humano acaba sendo menor”, afirmou a atriz. A comédia teve a estreia no dia 10 de junho, e a direção é do experiente Elias Andreato, com mais de 30 anos de carreira, chegou também a dirigir atores consagrados como Paulo Autran e Marilia Pêra.

Serviço:
Help
Teatro Nelson Rodrigues
Dias: 19 e 20
Horário: 20h
Endereço: Rua dos Coqueiros, 74, Vila Galvão
Telefone: 2459-1813

Reportagem: Ulisses Carvalho
Fonte: Guarulhos Hoje

sábado, 8 de julho de 2017

Maria Pinna e Eduardo Ximenes seguem em cartaz com HELP

Help, texto inédito escrito e dirigido por Elias Andreato está em cartaz no Teatro Eva Herz. Comédia sobre solidão tem os atores Maria Pinna e Eduardo Ximenes no elenco.


Elias Andreato se inspirou nos tempos atuais para escrever Help, que fala dos sintomas gerados pela era da individualidade e dos avanços da comunicação virtual. A comédia está em cartaz no Teatro Eva Herz com os atores Maria Pinna e Eduardo Ximenes.

O texto é dedicado à dramaturga, produtora teatral e assessora de imprensa Célia Forte. “Disse para a Célia que iria escrever uma peça pensando nela falando sobre a amizade. É uma mistura de ficção e realidade. Uma reflexão sobre a solidão e o mundo virtual em que vivemos e o sonho de um grande amor”, comenta Elias.

Apesar dos avanços dos meios de comunicação e das mídias em geral, algumas pessoas dizem sofrer de algum mal psicológico por ficarem sozinhas por muito tempo – ainda que estejam constantemente trocando mensagens via internet.

Esse é o preço pago pela busca da individualidade iniciada pelo pensamento moderno? Será que essas pessoas de fato são culpadas por serem diferentes e se sentirem tão isoladas a ponto de assumir que a solidão pode ser tratada com antidepressivos? Esse questionamento é o mote do espetáculo, que mesmo tratando de um tema difícil, caminha pelo cômico olhando para esta situação de forma irônica e leve.

O cenário é um pequeno apartamento dividido por dois jovens na cidade de são Paulo. O figurino é atual e casual e a música é pop passando pelo romantismo e delicadeza dos climas da encenação.

Sobre a escolha do elenco, Elias conta que foi apresentado à Maria Pinna pela atriz Tania Bondezan. “Fiquei encantado com ela, Maria é muito talentosa e carismática e me pareceu ideal para o personagem, ela tem humor e poesia e uma loucura criativa cativante.” Eduardo Ximenes foi aluno de Elias e juntos fizeram a peça AMOR 79:05 de Vinícius Márquez com Jesemir Kowalick. “Eduardo leu o texto e disse que era isso o que ele gostaria de falar. Ele é um jovem ator inquieto e talentoso”, conclui o diretor.

Sinopse
Regina, jornalista, 35 anos, divide seu apartamento com Thiago, jovem escritor de 30 anos que recentemente sofreu uma perda e que encontrou nessa amizade uma possibilidade de recomeçar a sua vida. Regina é extremamente exuberante, alegre, carismática, tenta levar sua vida de um jeito mais pragmático e otimista. Thiago, mais introspectivo, vivendo a crise dos 30 anos, tenta se estabelecer em sua profissão sempre em busca de uma motivação. É através desta amizade e da relação de cada um que estes dois encontram a possibilidade de um caminho diferente.

SERVIÇO 
Temporada: de 10 de junho a 30 de julho
Sábados às 18h e domingos às 16h
Onde: Teatro Eva Herz, Livraria Cultura – Av. Paulista 2073
Duração: 60min
Classificação: 14 anos
164 lugares
Ingressos: R$ 50,00 inteira / R$ 25,00 meia


Fonte: Dica de Teatro

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Com festão, Larissa Manoela comemora 10 milhões de seguidores no Instagram

Diversos famosos prestigiaram o evento. Vem ver!


Além de atriz e cantora, Larissa Manoela também é um verdadeiro fenômeno nas redes sociais. A estrela teen recentemente alcançou 10 milhões de seguidores no Instagram e decidiu fazer uma festa de arromba para comemorar. 

Nesta terça-feira, 27, a loirinha reuniu diversos amigos e familiares em um buffet em São Paulo e se divertiu noite afora. 

O evento, que teve pocket show e apresentações de dança da artista, contou com a presença de Gustavo Daneluz, Ana Vitória Zimmermann, Aysha Benelli, Bruno Peixoto, Mc Gui, Maria Pinna, Whindersson Nunes e Thomaz Costa, namorado da atriz. 

Larissa realmente só tem motivos para festejar, ela está em cartaz no cinema com o filme Meus 15 Anos e acaba de gravar seu primeiro DVD, filmado em Salvador, na Bahia. Além disso, ela estará na próxima novela do SBT, Poliana, que irá substituir Carinha de Anjo na grade da emissora.



Fonte: Contigo / R7 / Caras

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Promoção: Concorra a um par de ingressos para a peça Help


Acesse o site da Rádio Nova Brasil FM e saiba como concorrer a um par de ingressos para a peça 'Help'! Regulamento completo no site: http://novabrasilfm.com.br/promocoes/help/

Elias Andreato se inspirou nos tempos atuais para escrever Help, que fala dos sintomas gerados pela era da individualidade e dos avanços da comunicação virtual.

Apesar dos avanços dos meios de comunicação e das mídias em geral, algumas pessoas dizem sofrer de algum mal psicológico por ficarem sozinhas por muito tempo – ainda que estejam constantemente trocando mensagens via internet. Esse é o preço pago pela busca da individualidade iniciada pelo pensamento moderno? Será que essas pessoas de fato são culpadas por serem diferentes e se sentirem tão isoladas a ponto de assumir que a solidão pode ser tratada com antidepressivos? Esse questionamento é o mote do espetáculo, que mesmo tratando de um tema difícil, caminha pelo cômico olhando para esta situação de forma irônica e leve.

O cenário é um pequeno apartamento dividido por dois jovens na cidade de são Paulo. O figurino é atual e casual e a música é pop passando pelo romantismo e delicadeza dos climas da encenação.

Sábado, 18h
Domingo, 16h
Teatro Eva Herz, Livraria Cultura – Av. Paulista 2073

sábado, 17 de junho de 2017

Com 'Help', o premiado diretor Elias Andreato relembra crise dos 30 anos

Amizade entre uma jornalista e um escritor revela o humor e as dificuldades de que está apenas começando


Difícil imaginar que o talentoso ator e diretor Elias Andreato, em mais de quatro décadas de uma premiada carreira, tenha passado pela crise dos 30 anos. Ele que já interpretou o pintor holandês Vincent van Gogh, dirigiu atores consagrados como Paulo Autran e Marília Pêra, participou de filmes, novelas e séries, além de, recentemente, dividir o palco com Cláudio Fontana na versão dele do clássico Esperando Godot, de Samuel Beckett. “As pessoas cobram muito, você se sente inferiorizado, um fracassado. Todo mundo cobra o sucesso, se dar bem. Eu mesmo me cobrava”, conta Andreato.

Agora, o diretor relembra esse período de vacas magras na peça Help, sua segunda incursão pela dramaturgia, mas pelo viés do humor. Mais ainda, a comédia é uma celebração da amizade e uma homenagem à amiga Célia Forte, autora e produtora que há mais de 30 anos se dedica ao fazer teatral. 

Os dois se conhecem há muito tempo, mas ele se recusa a dizer o quanto... "A amizade é uma das coisas mais importantes que o ser humano inventou e tem que cultivar. Porque os amores não são mais eternos, então, a gente tem que preservar as amizades para não ficar sozinho e morrer de tédio”, afirma o diretor, que misturou experiências próprias da juventude a relatos de amigos para criar o enredo da peça, em cartaz no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura da Avenida Paulista, em horário alternativo (18 horas aos sábados e 16 horas aos domingos).

O “help” do título se refere ao pedido de ajuda dos personagens solitários da trama para tentar enfrentar as instabilidades profissionais e amorosas. São eles a jornalista Regina, de 35 anos, exuberante e divertida, e o escritor Thiago, de 30, mais introspectivo e em busca de uma motivação na carreira. Os dois amigos acabam dividindo um apartamento nessa fase mais complicada da vida deles. 

Cabe ainda uma crítica do autor aos relacionamentos virtuais das redes sociais, que, para Andreato, têm isolado mais as pessoas. O tom é de que o mais importante é o “face to face” do que o estar no Facebook.

Além de um texto repleto de expressões em inglês, a trilha sonora vem embasar o relacionamento de Regina e Thiago com jazz e blues, mas na roupagem de novas cantoras, como as americanas Norah Jones, Colbie Caillat e Caroline Pennell e a inglesa Lily Allen. “O objetivo da trilha é trabalhar a delicadeza. Ajudar a plateia a entrar nesse universo que é jovem, mas com uma certa poesia, uma certa delicadeza”, diz o assistente de direção Raphael Gama, que selecionou o repertório. Ele conta que o uso de uma versão de Help, dos Beatles, gravada por Tina Turner chegou a ser cogitado, mas depois mudaram de ideia.

Para o papel de Thiago, Andreato escolheu o ator Eduardo Ximenes, de 26 anos, que faz sua segunda peça e com quem o diretor já havia trabalhado anteriormente e também foi seu professor na Escola de Atores Wolf Maia. “A grande motivação mesmo que eu senti lendo esse texto foi essa questão da solidão e a gente estar sempre sujeito à bondade de outras pessoas, à bondade de estranhos”, afirma Ximenes. Ele diz ter o temperamento parecido com o do alter ego de seu personagem, além da “inquietação diante de certas coisas que passam sem ser discutidas”.

Já Maria Pinna, que faz Regina – mesmo nome da vilã que interpretou na novela infantil Cúmplices de Um Resgate, do SBT – foi apresentada ao diretor pela atriz Tânia Bondezan, colega de elenco da TV. “Ela (Regina) tem essa questão de fazer piada, de colocar tudo para cima, de tentar não sofrer com as coisas e tentar botar ele sempre para cima, porque no fundo também ela tem os vazios dela, mas em vez de demonstrar como o Thiago demonstra, ela guarda e vai fazendo piada atrás de piada. E quando ela está sozinha, consegue mostrar a fragilidade”, explica Maria sobre sua personagem, com que faz sua estreia no teatro.

“Eu convivi com muitas mulheres, me apaixonei por uma mulher muito próxima dessa figura. A própria Célia é um pouco isso, é uma pessoa extremamente otimista, ela é alegre, gosta de viver. E mulher tem um lado muito mais simples que o homem, ela externa o sentimento de uma forma muito plena, a gente é muito travado, né?”, comenta Andreato.

E como o tempo de agruras ficou no passado, o diretor se presta a colaborar no desenvolvimento profissional das novas gerações, como dando oportunidade à sua dupla de protagonistas. “Eu venho da periferia, comecei no teatro amador, é difícil você entrar em qualquer lugar, no mercado, furar algumas barreiras, então, eu acho que posso cumprir um papel legal.”

HELP. Teatro Eva Herz. Livraria Cultura. Avenida Paulista, 2.073; tel. 3170-4059. Sáb. às 18h, e dom., às 16h. R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia). Até 30/7.

Fonte: Estadão